Doenças cardíacas podem custar 18% da renda dos pacientes e seus familiares.

Notícias

Doenças cardíacas podem custar 18% da renda dos pacientes e seus familiares.

"Mais de três quartos das mortes por doenças cardiovasculares ocorrem em países de média e baixa renda."


Saúde


   Não bastasse o drama enfrentado pelas famílias que perdem ou têm parentes afetados por doenças cardíacas, as despesas associadas a essas patologias podem chegar a 18% da renda dessas pessoas. Essa perda financeira ocorre por vários motivos, como faltas ao trabalho, perda de emprego e mesmo mortalidade prematura, além de custos com os cuidados formais e informais de saúde.

   As doenças cardíacas ainda causam perdas financeiras ao país: 63% de custos do sistema de saúde, 37% de redução da produtividade e 5% menos impostos com a redução da renda dos indivíduos com problemas cardíacos e seus cuidadores.

   Os dados são do estudo O ônus econômico das condições cardíacas no Brasil, publicado neste ano nos Arquivos Brasileiros de Cardiologia pelo grupo do Dr. Fernando Bacal do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), em parceria com a Deloitte Access Economics, da Austrália. O estudo se debruçou sobre a carga econômica de quatro principais doenças cardíacas no Brasil: hipertensão, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio e fibrilação atrial.

    Estima-se que 17,7 milhões de pessoas morreram de doenças cardiovasculares em 2015, representando 31% de todas as mortes no mundo.


Fonte: Bem Paraná.


09/01/2019
08:36