Atuação do serviço aeromédico reduz em 25% mortes por infartos e acidentes de trânsito no Estado

Notícias

Atuação do serviço aeromédico reduz em 25% mortes por infartos e acidentes de trânsito no Estado

"O número de mortes por infartos e acidentes de trânsito no Estado apresentou redução de 25% desde que o serviço aeromédico foi reorganizado."


Saúde


   O tempo de resgate aéreo em chamados de urgência e emergência, e também para levar pacientes de um hospital a outro, é quatro vezes menor que os atendimentos feitos via transporte terrestre.

   São cinco bases do serviço no Estado, em Curitiba, Cascavel, Londrina, Maringá e Ponta Grossa. Juntas, elas cobrem todo o território paranaense, atendendo com 5 helicópteros e 1 avião. De janeiro a junho, 1.344 pacientes foram atendidos. 

   De 2014 para cá, foram mais de 10 mil atendimentos e nenhum paciente veio a óbito dentro de uma aeronave. De acordo com o diretor do serviço aeromédico do Governo do Estado, Vinicius Filipak, o atendimento ágil por meio aéreo reduz o risco de morte e de sequelas. A equipe de socorro aeromédico é formada por 10 médicos e cinco enfermeiros em cada base. Eles atuam em regime de plantão, das 7 da manhã às 7 da noite, período que permite voos e pousos com segurança. 

   O serviço de resgate tem todos os passos organizados de forma antecipada. A aeronave só decola quando a vaga no hospital já está garantida e a ambulância se encaminha para o local de pouso, atuação que leva no máximo 12 minutos. 

   Além do atendimento aos pacientes, o serviço aeromédico do Paraná faz também o transporte de órgãos para transplantes. A agilidade no tempo de chegada do órgão ao hospital contribuiu para que o Estado alcançasse o primeiro lugar nacional no número de transplantes.


Fonte: AEN-PR 


13/08/2018
08:24
Compartilhar no Facebook

Compartilhar no Whatsapp