Estudo aponta que “geração Z” é mais vulnerável à fake news

Notícias

Estudo aponta que “geração Z” é mais vulnerável à fake news

"As fake news — notícias falsas com conteúdo duvidoso e sem fontes de credibilidade — têm alcançado grande repercussão atualmente."


Variedades


   Com a tecnologia, as informações correm com uma velocidade incrível. Por isso, é preciso ter certeza antes de compartilhar alguma coisa nas redes sociais. Segundo estudo feito por pesquisadores do Instituto Tecnológico de Massachusetts dos Estados Unidos e publicada na revista Science, uma notícia falsa tem 70% mais chance de ser compartilhada do que uma noticia verdadeira.

   Um apuramento realizado pela DNPontocom mostra que os jovens são os mais inclinados à compartilharem fake news, pois são os mais ativos nas redes sociais e os que menos checam as informações do conteúdo. Entre os entrevistados da geração Z, aqueles nascidos entre 1990 e 2010, sete em cada dez leem apenas o título das informações, quatro em cada dez compartilham, sem checar, opiniões de pessoas em que acreditam - e três em cada dez são influenciados por familiares. A geração Y, nascidos entre 1980 e 1990, mostra maior cuidado: seis em cada dez checam mais de uma fonte de uma mesma informação. E os da geração X, nascidos até o início dos anos 1980, são influenciados por intelectuais e em sua maioria leem a notícia completa.

   De acordo com o professor de história e filosofia Daniel Medeiros, ouvido pela reportagem, “A chave para a melhora desse índice é orientar os jovens e incentivar que consumam informação de qualidade”. Para o professor, são três os fatores que levam a geração Z a disseminar fake news: os jovens não leem muito, estão conectados pelo celular o tempo todo e buscam notoriedade por meio de compartilhamentos.

   Segundo ele, o lugar no qual ainda é possível construir esse dia a dia de cuidado com a verdade e produzir um ambiente livre de fake news é a escola. O maior problema, segundo Medeiros, não é o surgimento da fake news em si, mas sua propagação: se ninguém comentasse, divulgasse ou compartilhasse notícias sem antes ter o cuidado de verificar a origem, as postagens não seriam fonte de nenhuma confusão.


Fonte: Bem Paraná.


09/07/2018
08:35